2 palestinos presos em Israel abandonam greve de fome

Dois prisioneiros palestinos mantidos em um presídio por Israel encerraram hoje uma greve de fome iniciada há quase três meses depois de terem recebido garantias de um promotor militar de que ele não buscará mantê-los na prisão por mais tempo em uma audiência programada para a próxima semana, anunciou o advogado Jawad Boulous, que defende os palestinos.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2013 | 13h02

Tarek Qaadan e Jafar Ezzeldeen estão presos sem acusações pendentes. Israel mantém os dois em regime de "detenção administrativa", um dispositivo da legislação israelense que permite estender por tempo indeterminado o período que eles passam na cadeia sem que sejam processados.

Sivan Weizman, uma porta voz da administração penitenciária de Israel, disse que os dois voltaram a se alimentar hoje, encerrando uma greve de fome que começou em 3 de dezembro.

Ainda segundo ela, dois outros prisioneiros em greve de fome foram hospitalizados para impedir que a saúde deles se deteriore.

Os prisioneiros em questão são Samer Issawi e Ayman Sharawneh. Eles foram soltos em 2011 como parte de uma troca de prisioneiros entre Israel e o grupo islâmico Hamas, mas voltaram a ser presos no ano passado sob a alegação de terem violado os termos da libertação. Desde então, ambos têm entrado e saído de greve de fome em protesto. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.