200 iranianos se oferecem para cometer atentados suicidas

Cerca de 200 jovens mascarados de ambos os sexos se reuniram num cemitério da capital iraniana para jurar sua disposição de levar a cabo ataques suicidas com explosivos contra americanos e israelenses. A cerimônia foi organizada pelo Quartel-General para Celebrar os Mártires do Movimento Islâmico Global, um grupo obscuro que desde junho vem recrutando voluntários para atentados.Um porta-voz, Ali Mohammadi, descreveu os voluntários que se apresentaram hoje como "a primeira unidade de comando suicida", embora outro representante do Quartel-General tenha dito que ataques promovidos pelo grupo já ocorreram em Israel. "Cedo ou tarde sepultaremos todos os ocupantes blasfemos de terras islâmicas", declarou.No domingo, o vice-ministro de Interior do Irã para questões de segurança havia afirmado que o movimento não tem apoio do governo e que pode operar "enquanto suas idéias se limitarem à teoria". No entanto, a organização tem apoio de alguns políticos linha-dura do Irã. O vice-ministro, Ali Asghar Ahmadi, não disse se o governo reprime o treinamento paramilitar que a organização alega oferecer, ou se as autoridades confirmam a infiltração de militantes em Israel ou no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.