200 milhões de chineses sofrem de impotência sexual

O tabaco, o álcool, o crescente sedentarismo e a má alimentação causam impotência sexual a 200 milhões de chineses, concluíram neste domingo os especialistas participantes de um congresso médico para combater o problema na China.Os atingidos pela disfunção erétil representam 15% da população chinesa, uma percentagem semelhante ao do Ocidente, mas que na China pode aumentar à medida que a população envelhece.O II Congresso de Urologia e Andrologia de Nanquim (leste), encerrado neste domingo, reuniu mais de 300 médicos. O médico espanhol Mariano Rosselló, um dos maiores especialistas europeus em cirurgia do pênis, apresentou sua experiência nas operações de implante de próteses do órgão.Rosselló apresentou aos participantes o "rigidômetro de inflexão digital", um instrumento criado por sua equipe médica e que permite um diagnóstico da impotência mais rápido e menos incômodo que os convencionais.Com o aparelho, o paciente pode comprovar em sua própria casa, em 20 minutos, o nível de sua disfunção erétil, ajudando a decidir o tipo de tratamento - cirurgia ou medicação - que precisa receber.Também foram mostradas possíveis aplicações da medicina tradicional chinesa para resolver a impotência, um problema que aumenta à medida que a esperança de vida na China cresce.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.