3 mil morreram com a onda de calor na França, diz governo

Cerca de 3 mil pessoas morreram na França por causas ?direta ou indiretamente relacionadas com a onda de calor? desde que as inusitadas altas temperaturas começaram a assolar o país há duas semanas, calculou o Ministério da Saúde em um boletim divulgado nesta quinta-feira. Antes de divulgar o comunicado por escrito, o ministro da Saúde Jean-Fraçois Mattei expressou em declarações pelo rádio que a onda de calor havia causado uma ?verdadeira epidemia? mortal na França, embora não tivesse dito quantas vítimas fatais a epidemia havia causado. Nos últimos dias, alguns governos locais e regionais haviam feito estimativas sobre mortos em suas respectivas áreas. O governo nacional indicou que estava trabalhando no levantamento de estatísticas para todo o país. Ao mesmo tempo, os cemitérios e empresas funerárias acusaram um aumento repentino de seus serviços desde que se iniciou a onda de calor. A maior empresa do ramo no país, a General Funeral Services, disse ter recebido 3.200 cadáveres entre 6 e 12 de agosto - 37% a mais do que os 2.300 na mesma época no ano anterior. As autoridades disseram que suas estimativas foram realizadas em parte com base no levantamento das mortes em 23 hospitais regionais de Paris entre 25 de julho e 12 de agosto e de acordo com informações fornecidas pela General Funeral Services. Esses mesmos hospitais regionais de Paris haviam tido 39 mortos em um único dia em 2002, segundo estatísticas oficiais. Mas na mesma data este ano, 12 de agosto, em meio à onda de calor, 180 mortes foram registradas, indicou o ministério. ?Notamos um claro aumento dos casos a partir de 7 e 8 de agosto, que podemos considerar como o começo das mortes epidêmicas relacionadas com o calor?, disse o ministério em seu comunicado. O ministro Mattei explicou que o elevado índice de mortes foi o resultado de uma onda de calor ?excepcional? junto com uma expectativa de vida mais prolongada. Disse que as pessoas idosas enfrentam maior risco de morte provocada por altas temperaturas. Numerosas pessoas faleceram enquanto estavam sozinhas em seus aprtamentos, gerando preocupações sobre a higiene e o odor das cidades. Os funcionários explicaram que agosto é geralmente o mês em que os idosos ficam sós porque seus familiares saem de férias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.