30 anos após o golpe, Pinochet vira marca de vinho no Chile

Os partidários do ex-ditador Augusto Pinochet poderão comemorar sua chegada ao poder 30 anos atrás com um vinho de produção limitada lançado no mercado por um conhecido empresário ?pinochetista?, informou nesta segunda-feira o site na Internet Terra.cl. Com o rótulo de ?Capitán General 30 años?, o vinho - um Cabernet Sauvignon reserva - já está sendo oferecido através do correio eletrônico e por cartas enviadas a conhecidos simpatizantes do ex-ditador, informou Eduardo Arévalo, o fabricante da bebida. Na carta enviada aos possíveis compradores, Arévalo diz que ?depois de Pinochet, o Chile já não é o mesmo, e esperamos que nunca volte atrás...?. Este não é o primeiro vinho em homenagem ao ex-ditador chileno, contra o qual foram abertas nos tribunais 300 queixas-crime que o acusam de assassinatos, torturas e desaparecimentos forçados. O primeiro vinho da série, também produzido por Arévalo, recebeu o nome de ?Capitán General?, em alusão à patente militar usada pelo ex-governante durante três décadas. Atualmente, Pinochet, com 87 anos, vive tranqüilamente entre suas duas residências em Santiago e em Los Boldos, perto do mar, depois que a Suprema Corte de Justiça considerou que seu estado mental, provocado por microderrames cerebrais, o impedem de defender-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.