33 Paquistaneses ilegais são detidos nos EUA

Agentes do Serviço de Imigração e Alfândega prenderam nesta quarta-feira 33 imigrantes paquistaneses sem documentação legal que tinham entrado nos EUA para tarefas religiosas. As detenções aconteceram em estados do litoral leste do país, onde os imigrantes executavam tarefas que não tinham nada a ver com a religião. Aparentemente, os ilegais faziam parte de uma operação que conseguia vistos por um programa destinado a trabalhadores religiosos. "Muitos dos detidos não eram sacerdotes nem trabalhadores religiosos, e sim estrangeiros em situação ilegal, empregados de postos de gasolina, motoristas de caminhões ou trabalhadores de fábrica", diz a nota do Serviço de Imigração e Alfândega. Outros eram de fato religiosos, mas tinham utilizado documentos falsos para conseguir o visto, acrescenta o comunicado. O Governo dos EUA mantém em vigência o Programa de Trabalhadores Religiosos que confere vistos a pessoas que cheguem ao país para atividades exclusivamente eclesiásticas. Em junho, as autoridades do estado de Washington detiveram o pastor sul-coreano Don Wan Park, declarado culpado de ajudar compatriotas a apresentar solicitações de visto com dados falsos. Os detidos podem ser acusados de violar as leis de imigração e deportados.

Agencia Estado,

16 Novembro 2006 | 00h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.