37% dos israelenses querem "livrar-se" de Arafat

Pelo menos 37% dos israelenses querem "livrar-se" do presidente da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, e apóiam o desmantelamento dos territórios autônomos palestinos como represália à onda de atentados em Israel, segundo uma pesquisa divulgada hoje pelo diário local Yediot Ahoronot.A sondagem não especificava quais seriam os meios para "ficarem livres" de Arafat. Mas, em outro artigo do Ahoronot, sobre as opções do primeiro-ministro Ariel Sharon para responder aos atentados, analistas políticos incluíram a possibilidade de "eliminação política" do líder palestino.De acordo com o levantamento, outros 32% dos israelenses querem o reinício de conversações de paz, sem exigir previamente um cessar-fogo, 18% são a favor da reocupação de territórios autônomos por tempo indefinido e 10% apenas acham que Israel tem de dar continuidade à atual política de retaliação pontual aos atentados. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Minna Tzemach com 502 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.