JAMIL CHADE/ESTADAO
JAMIL CHADE/ESTADAO

5 mil refugiados chegam ao centro de acolhimento da Sérvia

Imigrantes aguardam para seguir viagem à Hungria até o dia 15 de setembro, data em que passará a ser crime entrar ilegalmente no país

O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 09h03

BELGRADO - Cerca de 5.000 refugiados do Oriente Médio chegaram nas últimas 24 horas ao norte da Sérvia, onde esperam para seguir viagem à Hungria, informou nesta quinta-feira, 10, a emissora estatal sérvia RTS. Esse é o maior número de pessoas que chegaram ao centro de acolhimento de Kanjiza, localizado a poucos quilômetros da fronteira com o território húngaro, em um só dia.

Os recém-chegados ficarão no centro por pouco tempo e tentarão cruzar a fronteira até o dia 15 de setembro, data em que entra em vigor a nova lei de imigração na Hungria, que prevê como crime a entrada ilegal no país.

No momento, os imigrantes conseguem passar pelo único lugar que não tem arame farpado: a ferrovia Horgos-Reske, que liga os dois países vizinhos.

Aproximadamente 3.200 refugiados chegaram ontem a Belgrado, onde continuam sua viagem até o norte da Sérvia. Um representante da polícia sérvia para refugiados e imigrantes disse hoje que essas pessoas não querem passar mais do que algumas horas em Belgrado, pois temem chegar à fronteira depois do dia 15.

Áustria. Cerca de 3.700 imigrantes passaram hoje pela fronteira húngara em direção à Áustria, segundo um porta-voz da polícia. O aumento no fluxo de imigrantes pressionará ainda mais as autoridades austríacas para que providenciem transportes para a Alemanha.

Dezenas de milhares de pessoas, muitas fugindo da guerra na Síria, passaram pela fronteira desde que Áustria e Alemanha abriram-na no fim de semana. Quase todos seguiam para a Alemanha e poucos buscavam asilo na Áustria.

O porta-voz disse que uma nova onda de imigrantes cruzando a fronteira começou por volta de meia-noite e ele esperava mais pessoas.

"Certamente não é o fim da onda de hoje, porque mais pessoas virão", disse o porta-voz.

Todas as acomodações na área de Nickelsdorf, cidade fronteiriça com um centro de recepção para imigrantes, estavam sendo usadas e ele disse que não podia prever quantas pessoas a mais chegariam durante o dia.

Morte. Um refugiado sírio morreu hoje depois de ser atropelado em uma estrada que liga o sul da Hungria a Budapeste.

O homem tentava chegar a pé à capital húngara vindo da cidade fronteiriça de Roszke, ao sul da Hungria. Segundo a polícia local, outros refugiados ficaram feridos no mesmo acidente, que ocorreu durante a madrugada. /EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.