50 milicianos do Taleban morreram nas últimas 48 horas

Mais de 3.600 pessoas já morreram este ano no Afeganistão

EFE

01 de setembro de 2007 | 13h57

Cerca de 50 milicianos do Taleban morreram nas últimas 48 horas em confrontos com forças afegãs e estrangeiras no leste e no sul do Afeganistão, informaram neste sábado fontes oficiais.  O combate mais recente aconteceu neste sábado na província de Helmand, no sul, onde forças da Polícia afegã e da coalizão liderada pelos Estados Unidos responderam a um ataque de rebeldes no conflituoso distrito de Mousa Qala. No choque, durante o qual os militares contaram com apoio aéreo, sete milicianos morreram, segundo um comunicado do comando dos EUA, que afirmou que não houve baixas no Exército afegão nem entre as tropas internacionais. Na mesma área, mais de 20 supostos rebeldes morreram na sexta-feira em um combate iniciado quando os insurgentes atacaram uma patrulha conjunta de forças afegãs e da coalizão com morteiros, granadas e armas leves, segundo outra nota do comando dos EUA. O ataque levou a um confronto do qual participaram aviões de combate das forças internacionais, afirma o texto. Também na sexta-feira, na província oriental de Ghazni, no distrito de Deh Yak, a Polícia afegã, apoiada por forças dos EUA, enfrentou supostos membros do Taleban em uma batalha de várias horas na qual 18 insurgentes perderam a vida e outros seis foram detidos. O subchefe da Polícia de Ghazni, Mohammad Zaman, disse Efe que as autoridades lançaram a operação contra os militantes depois que receberam informações de que eles tinham a intenção de atacar um posto policial na estrada que liga Cabul a Kandahar. No mesmo dia, o Exército afegão interceptou uma caminhonete carregada com explosivos na província centro-oriental de Maidan Wardak, anunciou o Ministério do Interior.Duas pessoas foram detidas na operação e um suspeito morreu baleado pelo Exército quando tentou fugir, afirmou o departamento em um comunicado. As autoridades acreditam que os detidos planejavam um ataque suicida contra um comboio do Exército na província. As mortes registradas nas últimas 48 horas se somam a outros dez supostos rebeldes que morreram quinta-feira na província de Uruzgan (centro), onde tentavam atacar uma patrulha conjunta, segundo o Ministério do Interior. Mais de 3.600 pessoas já morreram este ano no Afeganistão devido aos conflitos e atentados.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTÃOTALEBAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.