70% da população do Egito aprova referendo, diz parcial

Mudanças na Constituição do país foram propostas pelo Comitê Independente formado pelo governo provisório

Reuters

20 de março de 2011 | 14h12

A primeira parcial sobre o referendo constitucional do Egito, divulgada neste domingo, 20, indica que 70% da população aprovou as mudanças propostas pelo Comitê Independente formado pelo governo provisório.

Veja também:

especialInfográfico: A lenta agonia de Hosni Mubarak

blog Cronologia: O dia a dia da crise egípcia

video TV Estadão:  Alegria nas ruas do Cairo

blogArquivo: A Era Mubarak nas páginas do Estado

lista Perfil: 30 anos de um ditador no poder

A nova Carta é o primeiro passo para eleições livres no país, onde uma revolução popular derrubou o ditador Hosni Mubarak.

Os votos do referendo sobre a proposta de mudanças constitucionais no Egito estão sendo contados e podem determinar a rapidez da eleição no país após o presidente Hosni Mubarak ter sido derrubado, disse neste domingo o órgão de supervisão judicial.

 

"Todas as seções eleitorais no Cairo e nas províncias... tiveram as votações encerradas e o processo de contagem e todos os documentos e resultados foram entregues", disse o chefe do órgão de supervisão judicial da votação, Mohammed Ahmed Attiyah, em comunicado.

 

Observadores independentes disseram esperar que os resultados saiam até o final do domingo. A votação, concebida para definir eleições presidenciais e legislativas livres, divide o movimento de reforma no país entre os que são favoráveis às alterações e os que exigem que a Constituição seja totalmente reescrita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.