75 mineiros presos são resgatados na África do Sul

Representantes sindicais dizem que a mina estava há muito tempo sem receber manutenção

Efe,

04 de outubro de 2007 | 01h49

A companhia mineira Harmony resgatou, por volta da 1 hora desta quinta-feira, o primeiro grupo de 75 mineiros dos 3.200 que ficaram presos em uma mina de ouro situada próxima de Johanesburgo, informou uma porta-voz da empresa.   Veja também: Acidente deixa mais de 3 mil presos em mina na África do Sul   Os trabalhadores ficaram presos na terça-feira por volta das 5 horas (de Brasília) após o desabamento de uma galeria. Ela cedeu após a explosão de um cano d'água, o que dificulta os trabalhos de resgate. Além disso, a eletricidade do elevador que conduz os mineiros de volta à superfície foi cortada.   "Conseguimos tirar as primeiras 75 pessoas usando um elevador de carga muito menor", disse a porta-voz da Harmony, Amelia Soares.   "Vai ser um processo muito longo e trabalharemos vinte e quatro horas por dia", acrescentou Soares. Os trabalhadores levados à superfície se encontravam em boas condições.   Equipes de paramédicos foram enviadas ao local onde se encontram os outros mineiros, a cerca de 2.200 metros de profundidade.   A Harmony quer acelerar o resgate por meio de um elevador de carga de minerais que pode levar à superfície centenas de mineiros a cada hora.   Segundo Soares, existem saídas para outra mina de ouro adjacente, operada pela empresa Anglogold.   Representantes sindicais se queixaram que a mina estava há muito tempo sem receber manutenção, e que não existiam saídas de emergência para evacuar os mineiros em caso de acidente.   O acidente ocorreu na jazida Elandsrand, próximo à cidade de Carletonville.   Na mesma região, em uma mina operada pela Anglogold, um deslizamento de terra causou a morte de quatro trabalhadores no fim de setembro.   A Harmony é a sexta produtora mundial de ouro, e uma das principais empresas de mineração da África do Sul.   A companhia assegurou que a comunicação com os mineiros presos é permanente, e que eles contam com ventilação e água.   Apesar das horas transcorridas desde o acidente, o grupo mineiro não informou do assunto até as 16 horas (de Brasília) de quarta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulmineiros presos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.