77% dos argentinos rejeitam candidatura de Menem

O ex-presidente Carlos Menem sonha em disputar a próxima eleição presidencial, marcada para 2007. Desta forma, poderia se equiparar ao general Juan Domingo Perón, fundador de seu partido, o Justicialista (Peronista), que foi eleito três vezes, um recorde até agora não batido. Porém, uma pesquisa realizada pela consultoria OPSM indicou que 77% dos entrevistados não votariam em Menem de forma alguma.Outros 10,6% afirmam que seria "pouco provável" que votassem em "El Turco", apelido do ex-presidente. Somente 7,1% confessam que "provavelmente" depositariam seu voto na urna a favor do ex-presidente. Apenas 4,6% sustentam que seria "muito possível" votar em Menem.Menem encerrou na semana passada um auto-exílio de quase um ano no Chile, onde estava fugitivo da Justiça argentina, e retornou ao país com a intenção de voltar à arena política.Mas, os analistas consideram que Menem não está ajudando para recuperar sua abalada imagem pública. Desde que colocou na Argentina, ele dedicou-se a jogar golfe em La Rioja, sua província natal. Além disso, cercou-se de um grupo integrado por impopulares assessores e ex-ministros, suspeitos de casos de corrupção. A pesquisa da OPSM também indicou que 71,8% dos argentinos não concordam com a volta de Menem à política. Outros 7,5% estão "pouco de acordo" com o retorno, enquanto que 8% estão "de acordo" e 7,2%" estão "muito de acordo" com sua volta. Além disso, o levantamento aponta que o retorno de Menem causou indignação em vastos setores da sociedade, já que el "El Turco" é suspeito de envolvimento direto ou indireto em uma centena de casos de corrupção. Perguntados se a volta de Menem demonstra a impunidade dos políticos perante a Justiça na Argentina, 59,7% responderam afirmativamente. Somente 11,8% sustentaram o contrário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.