AFP PHOTO / POOL / Alastair Grant
AFP PHOTO / POOL / Alastair Grant

A embaixada de US$ 1 bilhão

Gafe pode tirar Trump de inauguração de representação diplomática americana em Londres

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2017 | 05h00

LONDRES -  A nova Embaixada dos Estados Unidos em Londres, um prédio moderno de US$ 1 bilhão às margens do Rio Tâmisa, está às vésperas de ser inaugurado em meio à tensão crescente na “relação especial” entre os dois países, depois de críticas abertas do presidente Donald Trump à premiê Theresa May. 

+Trump rebate críticas de premiê britânica por compartilhar vídeo de extrema direita

O prédio, que traz consigo uma contradição arquitetônica de exalar abertura enquanto foi desenhado para se proteger de qualquer ataque deve ficar pronto no começo do ano que vem. Tem um formato de um cubo cristalino, no meio de um parque público e sem muralhas, com material reciclável, energia limpa e aparência de museu. 

Em meio à tensão provocada por comentários de Trump contra May no Twitter no começo do mês, o embaixador americano no Reino Unido, Robert “Woody” Johnsson, amigo pessoal de Trump e dono do New York Jets, tergiversou sobre a possível visita do presidente para inaugurar o prédio. 

“Estamos ansiosos para recebê-lo, mas nenhuma data está marcada. Ele é um presidente muito ocupado”, disse. “Há muitas especulações sobre uma visita em fevereiro.”

Importantes políticos britânicos, como o prefeito de Londres Sadiq Khan, tem pressionado May para desconvidar Trump. Ativistas têm se organizados para fazer grandes protestos durante visita do presidente e um deputado do Parlamento chegou a sugerir que Trump fosse preso na chegada ao aeroporto.

Depois de May dizer que Trump errou ao divulgar vídeos islamofóbicos em sua conta no Twitter, o presidente disse que a premiê não deveria preocupar-se com ele, mas com o combate ao terrorismo islâmico. Além disso, o republicano confundiu a conta real de May na rede social e endereçou a crítica a uma homônima da premiê. / WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.