A história do sobrevivente de Niagara

O homem que saltou sobre as Cataratas do Niagara e sobreviveu, contou hoje a história: estava com depressão e não com intenção de bancar o intrépido. Kirk Jones, de 40 anos, nascido em Canton, Michigan, de qualquer modo será indiciado por ?exibição ilegal de acrobacia?. O que pode lhe render uma multa de US$ 7.600, mas muito mais, certamente, renderá a história da façanha.Inadvertidamente ou não, ele tornou-se a primeira pessoa a mergulhar do penhasco de 54 metros de altura, por onde deslizam as águas do Rio Niagara, formando uma das cataratas mais famosas do mundo, sem qualquer equipamento de segurança e sair vivo da aventura. Família e amigos dizem que ele vinha considerando a possibilidade do feito há anos. E um amigo chegou a afirmar que Jones esperava fazer muito dinheiro com a notoriedade.Mas em uma entrevista a ABC News, ele assegurou que o motivo foi outro: queria acabar com a vida. ?Honestamente?, disse, ?eu achei que não valia a pena continuar. Mas posso dizer, agora, que depois de cair nas cataratas eu passei a achar que a vida vale a pena ser vivida.?Jones recentemente perdeu o emprego, quando seus pais fecharam o negócio da família, que produzia ferramentas para fabricantes de autopeças. Seu pai, Raymond Jones, disse ao The Detroit News que teve de demitir seu filho por economia.De qualquer forma, ainda não está claro o que o levou a boiar pelo rio até se jogar, de cabeça, pela queda d?água. Seu amigo Eric Fronec admite que Jones falou em atirar-se da cachoeira no passado, mas que foi guiado pela depressão. ?Acho que ele chegou ao ponto que, se nada acontecesse, seria o melhor para ele... Se ele conseguisse, poderia ganhar dinheiro. Se morresse, estaria tudo certo.? Jones insiste que pulou na água num impulso e que imediatamente se arrependeu. Os pais também asseguram que ele estava sofrendo de depressão, mas sua mãe disse que uma forma de sobreviver à queda na Niagara o intrigava a anos.?Ele dizia que sempre pensou que havia um ponto de onde se poderia saltar e sobreviver?, contou Doris Jones, de 77 anos. ?Nós nunca concordamos, achávamos que era arriscado.?Estar em meio às águas que despencam de 54 metros foi como ?estar num túnel gigantesco, indo direto para baixo, rodeado de água?, disse Jones a ABC. Segundo ele, sofreu pancadas fortes, foi virado de cabeça para baixo e, então, empurrado para fora quando atingiu o rio lá embaixo. Mas Jones não tem nenhum ferimento sério e permanece internado em boas condições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.