'A luta continua', diz líder da oposição em Madagáscar

O líder da oposição em Madagáscar, Andry Rajoelina, disse hoje que a "luta continua", um dia depois que forças de segurança atiraram nos manifestantes que protestavam contra o governo, matando 28 pessoas. Rajoelina visitou os feridos em um hospital da capital de Madagáscar. Segundo ele, as pessoas precisam de mudança. "E qual é a resposta de Ravalomanana? Tiros", disse se referindo ao seu rival, presidente Marc Ravalomanana, quem ele quer tirar do poder. Os tiros da guarda presidencial feriram mais de 200 pessoas. Rajoelina, que foi demitido de seu cargo de prefeito da capital do país, Antananarivo, na semana passada, quer derrubar Ravalomanana do governo. Ele acusa o presidente de ditador. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.