A pedido da CIA, 50 países caçam terroristas

Os serviços secretos e a polícia de 50 países mantêm atualmente detidas, a pedido da CIA, cerca de 360 pessoas - 30 das quais na América Latina - suspeitas de terem conexões com a organização terrorista Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita Osama bin Laden, e outros grupos similares, informou o The Washington Post em sua edição de hoje. Das 330 pessoas restantes, mais de 100 foram detidas na Europa, outras 100 no Oriente Médio e 20 na África. A atual caçada internacional é similar à operada pelo FBI dentro dos EUA, que levou à prisão cerca de 1.100 pessoas. Destas, no entanto, apenas algumas são suspeitas de terem ligações com o terrorismo, enquanto que a maior parte fora detida por violação às leis norte-americanas de imigração. Segundo as fontes citadas pelo jornal, as detenções em todo o mundo puseram em crise algumas células da Al-Qaeda, mas não está claro se as caçadas evitaram atentados em preparação tanto nos EUA como em outras partes do mundo. Segundo um diplomata europeu, que pediu para não ser identificado, a pressão da CIA sobre os serviços de inteligência de outros países é "formidável". "Não podemos conter esse pessoal da CIA", afirmou a fonte citada pelo jornal, explicando que os agentes norte-americanos inundam os países com pedidos de informações e de ações. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.