A reforma que Peña Nieto deveria fazer

CENÁRIO: Bloomberg News

O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2014 | 02h02

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, certamente considera como legado as históricas reformas econômicas que fez. Para um número cada vez maior de mexicanos que tomam as ruas, porém, o que sobressai é o fracasso do governo em protegê-los.

Esse fracasso se reflete na angústia e indignação generalizada diante do desaparecimento de 43 estudantes, em Iguala. Mesmo com a prisão de mais de 50 pessoas e com membros do cartel Guerreros Unidos tendo confessado que mataram e queimaram os jovens, nenhuma identificação foi feita pelos legistas.

Ao mesmo tempo, o fato de o governo ter lidado com o caso tardiamente e sem muita sensibilidade desencadeou uma crise política e protestos por todo o país. Peña Nieto tentou desviar a atenção da violência para o potencial econômico, apontando para taxas de homicídio em queda como prova de que a situação vem melhorando. Os dados, porém, são incertos e refletem um declínio das guerras entre gangues mais do que o aumento da efetividade do policiamento. Houve, ainda, um aumento de crimes de sequestro e extorsão, entre outros.

Peña Nieto assumiu o governo há dois anos prometendo reduzir o crime e a violência no país, além de desmantelar os cartéis de drogas. Se o presidente deseja que os mexicanos se sintam - e estejam - mais seguros, tem de persistir na reforma das forças policiais com o mesmo vigor, compromisso e talento com que realizou a abertura dos mercados de energia e telecomunicação.

O caso de Iguala esclarece muitos aspectos do problema, a começar pelos salários. De acordo com um investigador, um policial recebe US$ 460 por mês do Estado e US$ 770 dos chefões do tráfico.

A lista de reformas da polícia mexicana é longa e a sua realização levará décadas. No entanto, sem elas, as esperanças de Peña Nieto quanto ao futuro econômico do México não se cumprirão, já que o temor da população com a onda de crimes pode impedir o crescimento econômico. Antes de a nação ser capaz de sonhar, ela precisa dormir tranquila. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Mais conteúdo sobre:
MéxicoPeña Nieto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.