A vitória dos liberais e a grande aposta do Partido Colorado

Cenário: Cristiano Dias

O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2012 | 03h00

O impeachment de Fernando Lugo é uma vitória para o Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA). Ao assumir o poder, Federico Franco, vice-presidente, posicionará o Estado e a máquina do governo a seu favor, podendo contratar e distribuir cargos de baciada de olho na eleição de abril de 2013. Ele não é o nome mais forte do partido, mas fortalecerá algum aliado. No momento, os favoritos são Efraín Alegre, ex-ministro de Obras Públicas, e Blas Llano, presidente do PLRA.

No entanto, mais difícil de entender é o que o Partido Colorado, principal grupo de oposição, ganha. Os colorados lideram as pesquisas e sabiam que seu adversário em 2013 seria um liberal. Ao liderar a rebelião contra Lugo, a apenas nove meses da votação, eles jogaram o poder no colo dos rivais.

Segundo analistas paraguaios, a explicação mais razoável é que o Partido Colorado aposta no fracasso do governo liberal. Com uma boa bancada na Câmara e no Senado, eles são capazes de travar as iniciativas do novo presidente. Além disso, a experiência recente mostra que os colorados sempre perdem eleições polarizadas. Portanto, estimular o rompimento da aliança entre esquerda e liberais é o caminho mais curto para criar três candidaturas fortes no ano que vem - como não há segundo turno no Paraguai, os colorados venceriam com sua marca histórica de 40% dos votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.