Reprodução
Reprodução

Abaixo-assinado pede o fim da censura no jornal 'El Universal'

Petição, com mais de 400 assinaturas, lembra que jornalistas venezuelanos são repreendidos pelos próprios chefes

O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2015 | 08h19

Um abaixo-assinado no site Change.org pede o fim da censura no jornal venezuelano El Universal. A petição afirma que, segundo relatos, nos últimos seis meses os jornalistas que trabalham no diário são vítimas de censura dos próprios chefes.

o El Universal foi um dos mais severos críticos do chavismo até o ano passado, quando foi vendido. A família do poeta Andrés Mata, um dos fundadores do jornal, ainda mandava nos negócios e decidiu passar o diário adiante alegando não suportar as pressões econômicas e operacionais impostas pelo governo.

A venda ocorreu para um grupo espanhol e, desde então, o jornal mudou radicalmente a linha editorial e ao menos 20 jornalistas pediram demissão.

Segundo o texto do abaixo-assinado, agora as matérias são cortadas nas últimas horas da noite e títulos são substituídos. "Os conteúdos que tentam modificar são aqueles de maior relevância e interesse para a sociedade venezuelana, que seria a beneficiada pelas notícias que refletem a realidade", afirma o documento.

A petição cita que em 2014 foram registrados 145 casos de censura no país, "88% a mais do que no ano anterior" e a principal razão do aumento foi a mudança de proprietários dos meios de comunicação com alcance nacional. Além do El Universal, são citados o Cadena Capriles e a Globovisión

Os organizadores da ação pedem o fim imediato da censura de informações e notícias, o respeito ao trabalho jornalístico e a aplicação do código de ética do jornalista venezuelano. O abaixo-assinado conta com 410 assinaturas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.