Abalada por escândalo, BBC escolhe diretor-geral

A BBC, emissora estatal de televisão da Grã-Bretanha, escolheu nesta quinta-feira o executivo que irá liderar a corporação a partir de março de 2013, após ser abalada pelo escândalo provocado por seu ex-apresentador Jimmy Savile, acusado de abuso sexual por centenas de meninas e adolescentes. Savile faleceu em 2011 e as acusações são investigadas pela polícia metropolitana de Londres. O dirigente da BBC, Chris Patten, disse que o atual chefe-executivo da Royal Opera House, Tony Hall, de 61 anos, foi escolhido para o cargo de diretor-geral da BBC, que ocupará a partir de março.

AE, Agência Estado

22 de novembro de 2012 | 15h04

Hall trabalhou na BBC por 28 anos, incluída uma década como chefe do noticiário, antes de assumir o comando da Royal Opera em 2001. Ele sucederá George Entwistle, que pediu demissão em 10 de novembro após ficar somente 54 dias como diretor-geral da emissora.

Entwistle pediu demissão após a emissora ter veiculado uma reportagem feita com apuração deficiente e errada, a qual vinculou um político britânico aos casos de abuso sexual cometidos por Jimmy Savile. O político em questão era inocente. A BBC pediu desculpas, mas sua reputação ficou abalada.

Em comunicado, Patten disse que a BBC precisa voltar a "realizar grandes programas" televisivos. "Fazer isso, contudo, será uma jornada árdua e muito longa. Vamos implantar as mudanças exigidas para garantir que a emissora tenha um padrão esperado pelo público. Tony Hall é a pessoa ideal para fazer isso", disse.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.