Abbas aceita cargo de primeiro-ministro dos palestinos

Mahmoud Abbas, um líder pragmático e crítico do levante armado contra Israel, aceitou nesta quarta-feira o posto de primeiro-ministro palestino, gerando esperanças sobre a possibilidade de se encerrar os quase dois anos e meio de conflito entre israelenses e palestinos.Porém, alguns fatores serão decisivos para determinar o sucesso ou fracasso de seu trabalho: ele terá de lidar com a relutância de Yasser Arafat em compartilhar poder, possui uma frágil base de sustentação e dependerá da boa vontade do governo direitista de Ariel Sharon.Abbas aceitou o cargo após horas de conversa com o líder palestino, que aceitou criar o posto no mês passado, em meio a intensa pressão internacional.Abbas e Arafat se conhecem há quatro décadas. Nos anos 60, estavam juntos na fundação da Fatah, a facção política palestina que lidera, desde então, a luta pela criação de um Estado palestino independente e soberano.Discreto, Abbas nunca contestou Arafat em público, mas o relacionamento entre eles muitas vezes foi tenso. As discussões entre os dois, no entanto, costumam ocorrer em ambientes privados.ViolênciaNo norte da Cisjordânia, um pistoleiro matou a tiros um motorista israelense perto do assentamento judaico de Mevo Dotan na tarde de hoje, informou a polícia.O motorista de 50 anos foi baleado na cabeça e morreu na hora. Ele morava no assentamento. O grupo Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa assumiu a autoria do crime, cometido em retaliação pela morte de seu líder Yousef Masharka, na semana passada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.