Abbas apóia plano dos EUA de postar força internacional em Gaza

O presidente da Autoridade NacionalPalestina (ANP), Mahmoud Abbas, aceitou um plano americano paraposicionar forças internacionais na passagem de Karni, a principalvia fronteiriça para mercadorias entre Israel e Gaza, informou nesta segunda-feirao negociador-chefe palestino, Saeb Erekat. Abbas espera que com esta solução se "evitem os fechamentos dapassagem fronteiriça por motivos de segurança, que tão negativamenteafetam a vida econômica de Gaza", disse Erekat. O plano foi apresentado a ambas as partes pelo coordenador desegurança dos Estados Unidos na Cisjordânia e em Gaza, general KeithDayton. Em princípio, Israel também o aceita. No entanto, segundo o jornal israelense "Ha´aretz", o ministro daDefesa de Israel, Amir Peretz, disse na sexta-feira ao general dosEUA que antes de aceitar a proposta é necessário que o soldado GiladShalit, seqüestrado em 25 junho por grupos palestinos, sejalibertado e que sejam suspensos os disparos de foguetes contra oEstado hebreu a partir de Gaza. O plano prevê o posicionamento de 90 soldados de uma forçainternacional de observação na passagem de Karni, que seria ampliadapara permitir o trânsito diário de 400 caminhões. A medida inclui também o treinamento de funcionários de segurançae de alfândegas palestinos. A implementação do projeto custaria cerca de US$ 22 milhões. Desde o seqüestro de Shalit e do começo de uma operação militarisraelense contra Gaza, os fechamentos de Karni, um cruzamentovital, por onde passa grande parte das exportações e importaçõesde Gaza (o outro único ponto de passagem é entre Rafah e o Egito),foram constantes e afetaram muito a vida na região. Antes da retirada israelense de Gaza, há um ano, Karni foi palcode dezenas de ataques palestinos contra alvos israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.