Thiago Teixeira/Reuters
Thiago Teixeira/Reuters

Abbas busca apoio para a criação do Estado palestino no Brasil

O presidente da ANP reuniu-se com parlamentares e com representantes de comunidades árabes no País

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

20 Novembro 2009 | 04h39

Nove dias depois de o presidente de Israel, Shimon Peres, visitar o Brasil, buscando mais integração com o País, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, iniciou em Salvador (BA) nesta sexta-feira, 20, sua viagem por países da América do Sul  em busca de fortalecer a relação bilateral e buscar apoio ao reconhecimento pela ONU de um Estado palestino.

Abbas reuniu-se com parlamentares do Estado, com representantes de comunidades árabes no Brasil e com embaixadores árabes. Nos encontros, repetiu que não será candidato à reeleição. Foi recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo governador baiano, Jaques Wagner, para um jantar no Palácio de Ondina, residência oficial do governador.

Participaram do encontro, junto com Abbas e três ministros palestinos, os embaixadores no Brasil da ANP, da Arábia Saudita, do Egito, da Líbia, de Marrocos e da Tunísia.

 

O líder da ANP viaja com uma grande delegação política, formada pelo chefe de negociação, Saeb Erekat; o ministro de Relações Exteriores, Riad Maliki, e o secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Yasser Abed Rabbo, e que inclui também passagens na Argentina e no Chile. Erekat antecipou o propósito da viagem esta semana, ao afirmar que "visitaremos Brasil, Argentina e Chile, onde buscaremos ratificar o apoio latino-americano a um Estado palestino sobre as fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como capital".

 

O presidente da ANP ficará dois dias em cada país. Sexta e no sábado, estará no Brasil, enquanto ficará na Argentina no domingo e segunda-feira, e estará na terça e quarta-feira no Chile. Abbas iniciará sua viagem em Brasília nove dias depois de o presidente de Israel, Shimon Peres, realizar uma viagem ao Brasil para estreitar os vínculos com o país sul-americano.

 

Fontes oficiais palestinas confirmaram que Abbas será recebido em Brasília pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e também se encontrará com as chefes de Estado da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, e do Chile, Michelle Bachelet, nas etapas posteriores.

 

O Ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim, já havia afirmado, por ocasião da visita do líder israelense, que seu país estava interessado na estabilidade no Oriente Médio e que aproveitaria a visita de Abbas para tentar convencê-lo a se apresentar à reeleição. O presidente da ANP anunciou recentemente que não pretende concorrer a futuras eleições, devido ao fracasso nas negociações de paz no Oriente Médio.

 

No Brasil, onde há uma comunidade palestina com cerca de 100 mil pessoas, Abbas também deve participar de um fórum da Internacional Socialista, disseram à Agência Efe fontes da ANP. Abbas já havia visitado Brasil em 2005 para assistir a uma cúpula de países sul-americanos e árabes, e depois fez escala no Chile.

 

No caso da Argentina, aonde chegará no domingo, é a primeira vez que um presidente palestino visitará o país, onde será recebido com todas as honras tanto na Casa Rosada quanto no Parlamento em Buenos Aires. A presidente argentina se comprometeu na segunda-feira, após se reunir com Peres na capital argentina, a "fazer todos os esforços para conseguir que alguma vez possamos construir uma paz duradoura e definitiva no Oriente Médio". "Ver os palestinos em seu Estado reconhecido por todo o mundo e ver a Israel dentro de suas fronteiras com paz e segurança", acrescentou Cristina.

 

Abbas foi convidado a fazer um discurso a representantes dos grupos cristão, muçulmano e judaico da Argentina, onde, apesar da presença palestina ser menor - são cerca de 100 famílias -, recebe o apoio das grandes comunidades síria e libanesa.

 

O último país sul-americano da viagem será o Chile, onde Abbas se reunirá no dia 24 com Bachelet, com quem analisará a relação bilateral em um almoço oficial. No Chile, está a maior comunidade palestina da América Latina, com 300 mil membros, que receberá o presidente da ANP em um jantar destinado a arrecadar fundos para crianças palestinas.

 

A viagem de Abbas está dentro da campanha empreendida pela ANP para que a ONU reconheça um Estado palestino com as fronteiras anteriores a Guerra dos Seis Dias (1967). O Estado que os palestinos pretendem que seja reconhecido como membro de pleno direito das Nações Unidas inclui a Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental, territórios sob ocupação pelo Estado de Israel há mais de 40 anos.

Mais conteúdo sobre:
Abbas Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.