Abbas cancela reunião com Haniye prevista para terça-feira

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, cancelou nesta segunda-feira a reunião que estava marcada para amanhã com o primeiro-ministro e líder do movimento islâmico Hamas, Ismail Haniye, sobre a formação de um governo de união nacional, anunciou o assessor presidencial, Nabil Abu Rudaina.Rudaina reconheceu a um grupo de jornalistas que "a situação não é muito favorável" e que "as duas partes parecem mais destinadas ao confronto que a chegar a um acordo".Horas antes, o negociador-chefe da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Saeb Erekat, havia informado que Abbas tinha previsto reunir-se amanhã em Gaza com Haniye para continuar o diálogo sobre a composição e diretrizes do novo governo de união palestino.Após sua recente viagem aos Estados Unidos, o presidente palestino disse que as conversas com o Hamas para a formação do governo "tinham chegado a um ponto morto", depois de Haniye advertir na quinta-feira passada que não lideraria um Executivo que reconhecesse o direito de Israel a existir, ponto básico para a formação de uma Administração de união nacional.O porta-voz e deputado do movimento islâmico, Mushir Al-Masri, disse que o Hamas rejeitou as declarações de Abbas, afirmando que o presidente "tenta impor condições".Em declarações aos meios de comunicação nesta segunda-feira em Gaza, o ministro do Exterior palestino, Mahmoud Zahar, indicou que o Hamas não impôs nenhuma condição prévia à formação do governo de união apesar de outras partes tentarem pressionar o grupo para que reconheça Israel."Todo o mundo exige que o Hamas reconheça Israel, que ocupa toda Palestina", ressaltou Zahar, em alusão ao que o movimento fundamentalista considera a Palestina histórica, o que inclui o território do Estado de Israel."O espectro político palestino carece de objetivos específicos e dos mecanismos para formar um governo de união nacional", ressaltou Zahar, exortando à formação de um novo Governo.Haniye disse nesta segunda-feira que os esforços para a formação do governo serão retomados com o retorno de Abbas a Gaza e destacou que o horizonte político palestino foi selado e que os palestinos devem regular seus papéis e mostrar firmeza com os compromissos adotados.Abbas e Haniye chegaram no princípio do mês de setembro a um acordo de princípio sobre a formação de um novo governo de união, para suspender o bloqueio econômico da comunidade internacional. No entanto não foram concretizadas as pastas nem fixadas as diretrizes do mesmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.