Abbas chamará eleições se conversas com Hamas pararem

Mahmoud Abbas está inclinado a buscar novas eleições se conversas com militantes do Hamas sobre a formação de um governo moderado não produzirem resultados em duas semanas, disse um auxiliar do alto escalão da Autoridade Nacional Palestina (ANP), nesta quinta-feira, 2. O presidente palestino tem tentado acabar com um corte de auxílio, realizado por Israel e pelo Ocidente como punição pela eleição do Hamas, arranjando um acordo entre o grupo extremista e o seu partido Fatah, ou indicando tecnocratas independentes. Entretanto, o Hamas tem recusado a cumprir exigências para que reconheça Israel, e nenhuma solução para o impasse foi arranjada. O legislador independente Mustafa Barghouti, que tem oscilado entre os dois lados, disse na quinta-feira que um acordo sobre um novo governo está próximo, mas disse que não iria entrar em detalhes. "Fizemos um bom progresso. Estamos quase lá", disse ele após encontro com o primeiro-ministro Ismail Haniyeh, do Hamas. Ele disse que a tentativa de acordo tem alcançado um programa político aceitável para o Ocidente. Entretanto, negociações já foram por água abaixo no passado, apesar de todas as previsões. O chefe-de-gabinete de Abbas, Rafiq Husseini, disse que o líder palestino ainda espera chegar a uma solução. Mas se as negociações falharem, Abbas "considera instintivamente que a melhor coisa a se fazer é voltar-se para o povo", o que quer dizer uma nova eleição, disse Husseini em uma entrevista na sede presidencial na cidade de Ramallah.

Agencia Estado,

02 Novembro 2006 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.