Abbas chega ao Egito para relançar processo de paz

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, chegou nesta terça-feira ao Egito com o objetivo de melhorar a situação interna nos territórios palestinos e relançar o processo de paz no Oriente Médio.Segundo fontes oficiais egípcias, Abbas deve se reunir com o presidente do país, Hosni Mubarak, para analisar a situação nos territórios palestinos e o resultado da recente reunião que teve com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert.Mubarak, um mediador crucial no conflito israelense-palestino, enviará nesta quarta-feira a Israel seu ministro de Assuntos Exteriores, Ahmed Abul Gheit, que abordará com Olmert os esforços para "criar uma atmosfera adequada para o relançamento do processo de paz", informou a agência egípcia de notícias Mena.A reunião entre Abbas e Mubarak faz parte dos esforços de acalmar a situação nos territórios palestinos e preparar o caminho para o reatamento do diálogo com Israel.Abbas reuniu-se na noite de segunda-feira em Amã com o primeiro-ministro da Jordânia, Marouf Bakhit, cujo país é outro importante mediador árabe no conflito israelense-palestino. Jordânia O primeiro-ministro jordaniano, Marouf Bakhit, disse nesta terça que recebeu "gestos positivos" de Abbas e do primeiro-ministro Ismail Haniyeh sobre a oferta jordaniana para sediar uma reunião entre ambos os líderes."Recebemos gestos positivos e sentimos que as duas partes estão preparadas para avançar neste assunto", afirmou Bakhit em entrevista coletiva. "Não queremos visitas de protocolo, mas que venham a Amã sem nenhum tipo de tensões e que se sentem tranqüilamente para buscar soluções", acrescentou o primeiro-ministro jordaniano.Na segunda-feira, Bakhit telefonou para Haniyeh para fazer-lhe um convite oficial para visitar a Jordânia e iniciar negociações com Abbas, que visitou Amã nesta segunda-feira antes de sua viagem ao Cairo para encontrar-se com líderes egípcios.O primeiro-ministro jordaniano destacou, também, que o rei Abdullah apóia a reconciliação entre os palestinos.Segundo o premier jordaniano, a Jordânia, a Arábia Saudita e o Egito fizeram grandes esforços para convencer a comunidade internacional de que é preciso solucionar o problema palestino-israelense, "a base do conflito" no Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.