Abbas espera que novo governo palestino reconheça Israel

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, está se esforçando para conseguir apoio internacional para o novo governo unitário e disse, nesta segunda, 26, que espera que a coalizão reconheça Israel, mesmo com posição contrária do Hamas.No entanto, o líder supremo do Hamas, Khaled Mashaal, reafirmou que o mundo precisa "respeitar as posições do Hamas para a formação do novo governo palestino"O acordo de divisão de poder realizado em Meca entre Abbas e militantes do Hamas sofre pressão do chamado Quarteto do Oriente Médio que pediram que o novo governo acabe com a violência, reconheça Israel e aceite acordos de paz.A comunidade internacional, liderada pelos Estados Unidos e apoiada por Israel, já avisou que não irá retirar sanções econômicas contra os palestinos a menos que o novo governo reconheça Israel.Para que as sanções sejam retiradas, Abbas disse que espera que a nova coalizão encontre alguma maneira de reconhecer Israel mesmo com a rejeição do Hamas"O novo governo é formado por vários grupos diferentes. Os ministros precisam obedecer as decisões da coalizão, mas os partidos não", disse Abbas.Pedido do Hamas Meshal pediu ainda nesta segunda-feira, 26, em Moscou que o mundo coopere com o governo palestino depois da conclusão de um acordo de partilha de poder com o rival Fatah e pressionou pelo fim de um embargo político e econômico internacional contra a Autoridade Nacional Palestina (ANP), informaram agências russas de notícias.Na visita a Moscou, Meshal agradeceu à Rússia por sua ajuda, prosseguiram as agências. A viagem parece fazer parte de um esforço palestino para obter um apoio mais incisivo do governo russo depois de o Hamas não ter conseguido convencer a União Européia (UE) a suspender o embargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.