Abbas garante que governo de coalizão palestino trabalhará pela paz

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, disse nesta terça-feira à ministra de Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, que o novo governo de coalizão nacional na Autoridade Nacional Palestina (ANP) trabalhará pela paz e, portanto, deve ser aceito como interlocutor de Israel. Durante uma reunião em Nova York, onde os dois vãoparticipar do 61º Período de Sessões da Assembléia Geral da ONU, Abbas tentou convencer Livni a não boicotar o novo governo, informoua imprensa local. É a primeira reunião entre dois líderes nos últimos quatro meses. As duas partes consideraram o encontro de 90 minutos produtivo. "Foi uma reunião muito, muito positiva. Falamos de tudo", disse o presidente da ANP à imprensa. Livni afirmou que a conversa foi "importante e construtiva", mas se negou a revelar emdetalhes o conteúdo. "Falamos da situação no terreno na ANP e dos próximos passos." Para a ministra, "o mais importante neste momento para Israel é a libertação incondicional de Guilad Shalit", o soldado israelense seqüestrado. Embora Israel exija a libertação incondicional, na realidade aceita uma troca com os palestinos, segundo confirmou o presidente egípcio, Hosni Mubarak, mediador nas negociações. Abbas prometeu a Israel "o esforço máximo" para garantir a libertação. Em relação ao novo governo da ANP, formado pelos movimentos Fatahe Hamas, a ministra israelense expressou sua oposição. Para ela, o Hamas "fará o processo retroceder 60 anos". As duas partes também falaram sobre um encontro entre Abbas e oprimeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, mas não marcaram uma data.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.