Abbas: Não há planos para negociar com o Hezbollah

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse neste sábado que seu governo não tem intenção de iniciar negociações com o Hezbollah para a libertação de palestinos e prisioneiros libaneses mantidos em Israel.Israel lançou ataques em Gaza depois de um palestino ligado ao Hamas raptar um soldado israelense em junho.Com a intensificação do conflito, o Hezbollah seqüestrou dois soldados em 12 de julho, motivando o ataque massivo de Israel ao Líbano.O Hamas, um grupo militante islâmico que domina o governo palestino, acenou nesta semana com a possibilidade de negociar com o Hezbollah termos de libertação de palestinos e libaneses presos em Israel em troca dos três soldados israelenses seqüestrados. Mas Abbas disse que a situação era muito diferente para se coordenar a libertação. "Nossos irmãos no Líbano são um caso especial e nós temos o nosso caso específico", disse no Egito, onde se reúne com o presidente Hosni Mubarak.Abbas disse também que o primeiro-ministro Ehud Olmert está trabalhando com Mubarak no caso do Hamas e sugeriu pela primeira vez que a troca pode não acontecer simultaneamente. "A solução não seria simultânea", confirmou. "O preso israelense será libertado em contrapartida da libertação de um número de prisioneiros palestinos específicos". Abbas acrescentou que o acordo tem de inclur um número não especificado de mulheres, crianças, doentes, idosos e pessoas que passaram mais de 15 a 20 anos presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.