Abbas retoma diálogo sobre Plano dos Prisioneiros

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, retoma nesta quarta-feira o diálogo nacional com as facções da resistência sobre o Plano dos Prisioneiros, mas já advertiu que, se não houver acordo, vai submeter a proposta de um referendo a ser realizado em 26 de julho.O diálogo vai durar uma semana, disseram fontes próximas ao presidente. Terça-feira, Abbas se reuniu pelo terceiro dia consecutivo com o primeiro-ministro Ismail Haniye, do Hamas, a fim de superar, entre outras divergências, a do Plano dos Prisioneiros.Se Haniye e o Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) aceitarem o plano, estarão reconhecendo indiretamente o Estado de Israel, o que contradiz a ideologia da organização. Caso Abbas convoque o referendo de julho, todas as pesquisas prevêem uma grande vitória. PlanoA proposta, elaborada por prisioneiros do movimento nacionalista Fatah, estabelece um Estado palestino junto ao de Israel. Haniye bem como outras facções da resistência se opõem ao plebiscito.O plano também exige a libertação de 8.500 palestinos detidos em prisões israelenses. Mas os prisioneiros do Hamas retiraram seu apoio, aparentemente por pressão de seu líder político, Khaled Mashaal, no exílio sírio.O diálogo entre as 13 facções será retomado após o ataque da Força Aérea israelense no qual morreram oito civis, entre eles um pai e seu filho, além de outro menor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.