Abbas tem garantias de fim do embargo, segundo Hamas

O presidente palestino Mahmoud Abbas recebeu garantias de que doadores ocidentais acabarão com o embargo financeiro contra a Autoridade Palestina quando ele formar um governo de coalizão com o Hamas, disse um legislador do partido radical nesta terça-feira."Obtivemos claras palavras do presidente de que há garantias do americanos, europeus e árabes de que o cerco será acabado", disse o legislador, Salah Bardawil. Doadores ocidentais cortaram centenas de milhões de dólares em auxílio para o governo palestino após o Hamas ter vencido eleições legislativas no começo deste ano. O "Quarteto", composto pelos Estados Unidos, União Européia, Rússia e Nações Unidas para promover a paz no Oriente Médio, pediu que o grupo militante renuncie à violência e reconheça o direito de Israel existir. Micaela Schweitzer-Bluhm, porta-voz do Consulado dos EUA em Jerusalém, disse que não houve mudança na posição americana. "Nossa posição é bem clara. Estamos procurando por um governo palestino que aceite os princípios do Quarteto", disse ela. Abbas, um moderado, tem instado ao Hamas, o qual controla a maioria das ocupações do governo, a se unir ao movimento do Fatah em uma coalizão para acabar com sanções internacionais. A Abbas e dirigentes do Hamas têm tentado há meses forjar uma colisão. As conversas tropeçaram novamente na segunda-feira última, 6, quando ambos os lados falharem em entrar em acordo sobre um novo primeiro-ministro. Bardawil disse que o Hamas indicou o atual ministro da Saúde, Bassem Naim, para ser o novo primeiro-ministro. Ele negou relatos de que Abbas tenha negado o nome. Fontes próximas ao presidente palestino não estavam disponíveis para comentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.