Mohamad Torokman/Reuters
Mohamad Torokman/Reuters

Abbas volta a dizer que pedirá reconhecimento da ONU

Presidente palestino pediu ainda a realização de protestos pacíficos em apoio à iniciativa

estadão.com.br,

27 de julho de 2011 | 12h36

Atualizado às 15h34

 

RAMALLAH - O presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, disse nesta quarta-feira, 27, que pedirá à Organização das Nações Unidas (ONU) que endosse a independência palestina em setembro mesmo que as negociações de paz sejam retomadas com Israel.

 

O comunicado emitido por Abbas assinala uma posição mais firme. Antes, ele dizia que recorreria à ONU apenas se o processo de paz permanecesse em um impasse.

 

As negociações estão paralisadas há quase três anos, embora os Estados Unidos tenham tentado reviver o processo. Os comentários de Abbas indicam que ele se prepara para um confronto com Israel e os EUA, que são contra a ida dos palestinos à ONU.

 

Jerusalém e Washington afirmam que as disputas precisam ser resolvidas em negociações. Embora os EUA devam usar seu poder de veto para barrar a iniciativa e apesar de os palestinos reconhecerem que uma votação na ONU seria em grande parte simbólica, eles acreditam que isso poderá enviar uma mensagem a Israel.

 

Manifestações pacíficas

 

Também nesta quarta, Abbas fez um pedido para que os palestinos realizem atos pacíficos contra Israel. Segundo ele, o povo deveria promover uma "resistência popular" inspirada nas manifestações da primavera árabe, em outros países da região, como Egito e Tunísia. O objetivo, disse, seria apoiar a ofensiva diplomática palestina na ONU, em setembro.

 

"Neste próximo período, queremos uma ação (popular) massiva, organizada e coordenada em todos os lados", disse o presidente palestino, durante comitê da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), em Ramallah. Segundo ele, trata-se de uma "oportunidade para elevar nossa voz diante do mundo e dizer que queremos nossos direitos".

Com AP, Agência Estado e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinosAbbasONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.