Aberta investigação sobre causas de explosão em fábrica da Airbus

A polícia abriu nesta segunda-feira uma investigação para determinar as causas da explosão de uma prensa hidráulica em uma fábrica da Airbus em Toulouse, no sul da França, que deixou duas pessoas gravemente feridas e outras três com lesões leves, informou o presidente da construtora aeronáutica, Jean-Marc Thomas."As razões das explosão ainda são desconhecidas e estão sendo investigadas", disse Thomas à imprensa diante da fábrica de Saint-Eloi, onde o incidente aconteceu às 7h45 (2h45 em Brasília).A explosão "foi violenta mas localizada, e os feridos estavam perto da prensa hidráulica", que dá forma às peças metálicas que envolvem os reatores dos aviões da Airbus, detalhou Thomas.Os cinco feridos foram atendidos pelos serviços de socorro no local do acidente e dois deles - um com uma fratura exposta no tórax e outro com dores abdominais - foram levados a um hospital em Toulouse.Apenas as atividades do local onde fica a prensa hidráulica em questão foram interrompidas devido às "necessidades da investigação", destacou o diretor do gabinete do governo regional de Haute-Garonne, Francis Soutric.Soutric afirmou que a explosão não provocou incêndio nem causou desmoronamento, como fora inicialmente divulgado.Cerca de 1.600 pessoas trabalham na fábrica de Saint-Eloi, onde fica o centro de formação dos aprendizes da Airbus, que não foi atingido.Esta é a primeira vez que acontece um acidente deste tipo na fábrica de Saint-Eloi, que foi criada em 1920, mas atualmente, segundo Thomas, é "muito moderna".Quando foi aberta, a fábrica pertencia ao construtor de aviões Dewoitine. Depois passou para as mãos de Sud-Aviation, que se transformou na Aerospaciale, e, em 2000, tornou-se parte da Airbus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.