Abkházia rejeita proposta sobre disputa com Geórgia

O presidente da Abkházia, Sergei Bagapsh, rejeitou uma proposta internacional para resolver a disputa entre a região separatista e o governo central da Geórgia. Bagapsh disse hoje que a Abkházia enviaria uma proposta alternativa e frisou que a região não discutirá o tema - que gera temores de um conflito e estremeceu os laços entre Rússia e o Ocidente - até a Geórgia retirar suas tropas da região. Bagapsh falou após se encontrar com o ministro alemão de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, que viajou ao Cáucaso para discutir a proposta.O texto internacional foi enviado por membros do Grupo de Amigos da Geórgia, ligado à secretaria-geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Fazem parte da iniciativa Alemanha, Rússia, Estados Unidos, Grã-Bretanha e França. A proposta, de três fases, pede garantias de segurança e passos para que os georgianos étnicos refugiados retornem à Abkházia. Há também medidas para o desenvolvimento econômico da província do Mar Negro que rompeu com o controle do governo central em uma guerra, no início dos anos 1990. Outro ponto é a determinação do status final da região.Para o presidente da Abkházia, o primeiro passo em qualquer iniciativa deve ser a retirada das forças da Geórgia de uma porção da Garganta Kodori, última parte da Abkházia ainda controlada pela Geórgia. Ele também insistiu que o status final da Abkházia não é alvo de discussões. "A Abkházia é uma república independente e esse ponto não é sujeito a qualquer negociação", afirmou ele em Gali, uma cidade da Abkházia. A reivindicação de independência da província não é reconhecida por nenhuma nação ou organização internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.