Absolvidos acusados de ligação com ataque em Londres

Os três homens acusados de colaborar com os ataques a bomba contra meios de transporte em Londres em 2005 foram absolvidos hoje. Eles foram inocentados de ter tomado parte no plano, um golpe nas expectativas dos investigadores de condenar alguém pelo pior ataque ocorrido na Grã-Bretanha desde a Segunda Guerra Mundial. Um tribunal de Londres declarou Waheed Ali, Sadeer Saleem e Mohammed Shakil inocentes de conspirar para realizar as explosões. Eles foram acusados de trabalhar com os quatro suicidas que atacaram três vagões do metrô e um ônibus em 7 de julho de 2005, matando 52 passageiros e a si mesmos.

AE-AP, Agencia Estado

28 de abril de 2009 | 13h43

Os procuradores alegaram que os três fizeram parte de uma visita de reconhecimento antes dos ataques em dezembro de 2004, quando o trio participou de uma viagem a Londres junto com os suicidas. O grupo visitou estações de metrô e locais turísticos, como a roda-gigante London Eye e o Museu de História Natural. Mas o júri rejeitou as acusações de que os três homens estiveram envolvidos no planejamento dos ataques. Foi a segunda vez que eles foram julgados. Um outro júri não conseguiu chegar a um veredicto em agosto.

Ali e Shakil foram condenados hoje por uma acusação mais branda de conspirar para frequentar um campo de treinamento terrorista. As sentenças serão divulgadas amanhã. Especialistas disseram que o veredicto destaca a dificuldade de condenar suspeitos em casos complexos de terrorismo. Ali, Saleem e Shakil, que eram amigos dos suicidas, são as únicas pessoas a terem sido julgadas em conexão com os ataques. A polícia disse que a investigação, a maior da história da polícia britânica, continua. Mas os oficiais dizem que seu trabalho é atrapalhado pela relutância das testemunhas das comunidades islâmicas da Grã-Bretanha em colaborar.

Tudo o que sabemos sobre:
Grã-Bretanhaataquesjulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.