Abusos sexuais entre militares dos EUA aumenta 40%

As denúncias de agressões sexuais entre militares americanos aumentaram cerca de 40% em 2005, informou o Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Um relatório do Pentágono atribuiu o aumento a um novo programa que encoraja vítimas a denunciar os ataques. O documento indica que em 2005 houve 2.374 denúncias de agressões sexuais em comparação com as 1.700 registradas no ano anterior. Acrescentou que 435 denúncias foram feitas por meio de um programa que permite que as vítimas recebam atendimento médico sem a exigência de informar os casos às autoridades civis e militares. "Este é o crime menos denunciado em nossa sociedade", disse Roger Kaplan, porta-voz do Pentágono, que afirmou ainda que as autoridades militares estão trabalhando para reduzir sua incidência. "Queremos que as vítimas recebam tratamento. Quanto mais pessoas apresentarem denúncias, maiores serão possibilidades de punições e de expulsão dos que cometerem crimes", declarou. O relatório indicou que em 2005 foram arquivadas as investigações de 1.400 casos de agressão sexual sem punições contra os supostos atacantes, por falta de provas ou de identificação adequada. As instituições militares dos EUA tiveram seu prestígio abalado nos últimos anos por denúncias de abusos sexuais tanto no país como no exterior.

Agencia Estado,

17 Março 2006 | 02h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.