Ação da CIA salvou vidas, diz Cheney

Ex-vice-presidente defende técnicas de interrogatório do governo Bush

WP, NYT, Efe, WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

26 de agosto de 2009 | 00h00

O ex-vice-presidente dos EUA Dick Cheney defendeu ontem as técnicas usadas pela CIA nos interrogatórios de suspeitos de terrorismo durante o governo do ex-presidente George W. Bush. Para Cheney, essas ações permitiram "salvar vidas".Em comunicado, o ex-vice-presidente americano afirmou que os documentos divulgados na segunda-feira sobre os abusos cometidos por agentes da CIA em alguns interrogatórios mostram que as pessoas submetidas ao que ele chama de "técnicas refinadas de interrogatório" deram a maior parte da informação de inteligência sobre a Al-Qaeda."Essas informações salvaram vidas e preveniram atentados terroristas", disse Cheney. Ele acrescentou que os detidos "também tiveram papel em quase todas as detenções de membros e associados da Al-Qaeda desde 2002".Na segunda-feira, foi divulgado um novo relatório de 2004 que revelou que a CIA intimidou com pistolas e furadeiras elétricas suspeitos de terrorismo submetidos a interrogatório, além de ter ameaçado assassinar as famílias dos interrogados. No mesmo dia, o secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, anunciou a nomeação de um promotor especial para investigar os abusos cometidos por agentes da CIA e por funcionários terceirizados contratados pelo governo. A investigação deverá determinar se há evidências suficientes para que sejam abertos processos criminais contra os responsáveis.Na semana passada, em outra tentativa de mudar a imagem do governo americano, Obama ordenou a criação de uma unidade especial para os interrogatórios. O grupo será subordinado ao FBI e supervisionado pelo Conselho Nacional de Segurança e da Casa Branca, o que tira da CIA o comando dos interrogatórios.PROTESTOSPara Cheney, a decisão de Holder de investigar agentes federais levantará dúvidas sobre a capacidade do governo do presidente Barack Obama de garantir a segurança dos EUA. "As pessoas envolvidas nos interrogatórios merecem nosso agradecimento e não devem ser alvo de investigações políticas ou processos judiciais", afirmou Cheney. "As ações da CIA permitiram destruir todos os esforços da Al-Qaeda de lançar mais ataques contra os EUA."Em carta enviada ontem a Holder, oito senadores republicanos condenaram a decisão de investigar ações do governo Bush, acusando o secretário de Justiça de promover "uma caça às bruxas". "Tememos que o verdadeiro custo dessa medida recaia sobre o povo americano, que precisa de agentes de inteligência operando sem obstáculos para protegê-lo de muitas ameaças, conhecidas ou não, que os EUA sofrem desde o 11 de Setembro", diz o texto da carta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.