Ação israelense deixa pelo menos um morto em Gaza

O exército israelense realizou, na madrugada desta quarta-feira, uma incursão ao campo de refugiados de Khan Yunes, no sul da faixa de Gaza. Os combates ocorridos entre os soldados israelenses e a população palestina deixaram pelo menos um palestino morto e outros 20 feridos. A operação, aparentemente organizada em represália ao lançamento de cinco bombas contra vários assentamentos judeus na faixa de Gaza, começou à meia-noite hora local (20h00 de Brasília) e acabou com a retirada das forças israelenses três horas depois. Pelo menos quinze tanques israelenses, veículos blindados para o transporte de pessoas e escavadeiras penetraram mais de meio quilômetro no campo de refugiados, sob controle da Autoridade Nacional Palestina (ANP), pelas entradas ocidente e norte. Durante a operação, as escavadeiras destruíram quatro casas e outros cinco edifícios foram danificados por disparos de morteiros. As escavadeiras demoliram também todas as barreiras terrestres que protegiam o campo e os tanques lançaram trinta projéteis contra o bairro de Al-Tufah. Médicos palestinos do Hospital Nasser, de Khan Yunes, informaram que dentre os mais de 20 residentes feridos, sete eram de uma mesma família. Centenas de civis palestinos armados dominaram as principais ruas. As mesquitas conclamaram a população a resistir ao ataque israelense e a sair às ruas para defender o campo de refugiados. A rádio israelense informou que tanques e forças israelenses penetraram na localidade autônoma destruíram postos da polícia palestina e edifícios que servem de refúgio para atacar as tropas israelenses. O exército israelense não fez nenhum comentário sobre estas informações, embora, anteriormente, tenha informado que horas antes militantes palestinos lançaram três granadas anti-tanque contra uma posição do seu exército próxima ao assentamento de Gani Tal, e que foram feitos "muitos" disparos contra os assentamentos de Nevé Dekalim, próximo a Khan Yunes, e Gani Tal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.