Ação militar contra o Irã seria um desastre, diz relatório

Uma ação militar contra o Irã teria conseqüências desastrosas, de acordo com um relatório divulgado nesta segunda-feira por 15 organizações, sindicatos e grupos religiosos britânicos.O documento, intitulado "Momento para dialogar: o caso de uma solução diplomática sobre o Irã", é assinado pela organização Oxfam; os sindicatos britânicos Unison, GMB e Amicus; o Parlamento Muçulmano e o Christian Solidarity Worldwide.Os Estados Unidos e Israel aumentaram sua retórica contra Teerã nas últimas semanas, levando a especulações de que poderiam estar preparando ataques militares contra o Estado islâmico.Washington enviou um segundo porta-aviões à região, medida vista como um alerta. Além disso, os norte-americanos acusam o país de querer armas atômicas e de alimentar a instabilidade no Iraque e no Oriente Médio. O Irã nega as acusações.O relatório afirma que um ataque ao Irã vai, entre outras coisas, fortalecer as ambições atômicas do país, prejudicar fortemente as esperanças de uma estabilidade no Iraque e o crescimento econômico global por meio de uma alta nos preços do petróleo."As conseqüências de uma ação militar contra o Irã não são apenas repulsivas, são inconcebíveis", disse Stephen Twigg, ex-deputado trabalhista e diretor do Centro de Política Externa. "Mesmo de acordo com as piores estimativas, o Irã ainda está a anos de ter uma arma nuclear".Entre as recomendações do relatório estão ainda: estabelecer um compromisso para negociar a suspensão do enriquecimento de urânio, buscar negociações diretas entre o Irã e os Estados Unidos e desenvolver um pacote de incentivos ao Estado islâmico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.