Ação na Síria deve 'equilibrar' situação, diz França

O governo da França alega que uma ação punitiva contra a Síria, em resposta ao suposto uso de armas químicas, deverá "equilibrar" a situação no país.

AE, Agência Estado

04 Setembro 2013 | 04h48

A porta-voz do governo francês, Najat Vallaud-Belkacem, disse nesta quarta-feira que a comunidade internacional tem uma obrigação, após o ataque de 21 de agosto que, segundo os EUA, matou 1.429 pessoas. A França, assim como os EUA, acusa o regime do presidente sírio, Bashar Assad, de ter cometido o ataque.

A porta-voz disse à BFM-TV que a ação militar poderá "reequilibrar" a guerra civil na Síria. "Se você quer uma solução política, você tem de mover a situação", disse o ministro de Relações Exteriores, Laurent Fabius, à rádio France Info.

Parlamentares franceses deverão debater a resposta a suposta ofensiva química nesta quarta-feira. Ao contrário do presidente Barack Obama, o presidente francês não precisa de uma votação para participar de uma ação militar. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
françasíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.