Ação terrorista na Rússia entra no 2º dia e Putin cancela viagem

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, descreveu como horrível a invasão da escola na república russa de Ossétia do Norte e prometeu fazer o que for necessário para salvar a vida das centenas de reféns. Putin, que suspendeu suas férias e retornou a Moscou, também adiou a viagem que faria hoje para a Turquia. A ação terrorista entrou hoje em seu segundo dia. Cerca de 350 pessoas são mantidas reféns por homens e mulheres fortemente armados com explosivos, que ameaçam explodir a escola se a polícia decidir invadi-la.Segundo a agência Dow Jones, não está claro o que eles reivindicam e quem eles são. As negociações por telefone continuaram durante toda a madrugada, envolvendo o pediatra Leonid Roshal, que ajudou os reféns durante a invasão do Teatro de Moscou por chechenos em 2002. Os invasores da escola exigiram a participação do médico. Segundo a emissora de TV NTV, Roshal disse aos invasores que eles teriam um caminho livre para fugir, mas essa oferta foi recusada. O chefe do Serviço de Segurança Federal da Ossétia do Norte, Valery Andreyev, afirmou que pessoas mais velhas da Chechênia e da Ingushetia se ofereceram para ficar no lugar das mães e crianças tomadas como reféns.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.