Acesso a órgão anticorrupção é bloqueado na Tailândia

Os defensores da primeira-ministra da Tailândia, Yingluck Shinawatra, acorrentaram a entrada da sede da Comissão Nacional de Combate à Corrupção. O órgão planejava investigá-la por má gestão do programa de subsídio governamental à produção de arroz.

AE, Agência Estado

26 Fevereiro 2014 | 12h18

Os apoiadores de Yingluck, chamados Camisas Vermelhas, estão copiando as táticas dos oponentes, que bloquearam várias agências governamentais desde janeiro para pressionar a premiê a renunciar.

Os Camisas Vermelhas acorrentaram a entrada da agência anticorrupção por acreditar que o órgão está perseguindo Yingluck. O programa de subsídio de arroz acumula perdas de pelo menos US$ 4,4 bilhões e tem sido alvo de várias alegações de corrupção. Os pagamentos aos agricultores estão atrasados em vários meses.

Os oponentes de Yingluck querem substituir o seu governo por um conselho nomeado, que, segundo eles, iria introduzir reformas anticorrupção. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.