Achado "grampo" em ministérios argentinos

As linhas telefônicas de pelo menos três ministérios argentinos, e até os celulares do presidente Fernando de la Rúa, estão sendo grampeados, segundo denúncia divulgada nesta quarta-feira. O autor da denúncia, feita através de um jornal e várias emissoras de rádio, é o professor universitário e engenheiro Ariel Garbatz - um especialista que trabalha para a Universidade Tecnológica Nacional (UTN). O relatório sobre o tema, publicado pelo jornal La Nación, diz que técnicos daquela universidade realizaram, a partir de fevereiro, várias inspeções de telefones fixos e celulares de diversos altos funcionários, a pedido deles próprios. As repartições mais afetadas foram os ministérios do Interior, onde foram detectados 15 grampos; da Economia, com 20 aparelhos afetados; da Educação, com 18 telefones interceptados, e a Secretaria de Ciência e Tecnologia. Para Garbatz, a única forma de acabar com os grampos é o governo "tomar uma decisão política" sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.