Achado na Venezuela fóssil de roedor de 720 quilos

Um grupo de cientistas encontrou na Venezuela os restos fossilizados de um roedor de 702 quilos. Parecido com os coelhinhos da Índia, mas com o tamanho de um búfalo, o animal viveu há milhões de anos em uma zona pantanosa a cerca de 400 quilômetros ao oeste da capital Caracas e, segundo os cientistas, era o maior roedor da história. A descoberta foi publicada na edição desta semana da revista Science. O nome científico do roedor é Phoberomys pattersoni, em homenagem a Brian Patterson, um professor da Universidade de Harvard que liderou uma expedição em busca do fóssil na Venezuela na década de 1970. De acordo com Marcelo R. Sánchez Villagra, da Universidade de Turíngia, o roedor vivia há entre 6 milhões e 8 milhões de anos num paraíso para grandes herbívoros, com vasta e farta vegetação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.