Acidente com avião da Embraer mata 43 na China

Aeronave parte-se em dois e pega fogo durante aterrissagem com forte neblina: 53 pessoas são resgatadas com vida, mas 3 estão em estado grave

Reuters e AP, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2010 | 00h00

PEQUIM

Um avião de passageiros fabricado pela empresa brasileira Embraer, com 96 pessoas a bordo, sofreu um acidente ontem durante pouso no aeroporto da cidade de Yichun, perto da fronteira com a Rússia. Quarenta e três pessoas morreram e 53 foram resgatadas com vida.

Segundo a agência de notícias estatal Nova China, o avião E-190 operado pela Henan Airlines levava 91 passageiros, incluindo 5 crianças, e 5 tripulantes. Autoridades de Yichun confirmaram que a maioria dos feridos teve ferimentos leves, como fraturas e queimaduras. Apenas três sobreviventes foram hospitalizados em estado grave.

A aeronave, que havia decolado de Harbin, capital da Província Heilongjiang, saiu da pista no momento da aterrissagem e partiu-se em dois, pegando fogo. Alguns passageiros foram lançados para fora da aeronave no momento do acidente.

Mais 500 bombeiros e integrantes da equipe de resgate levaram mais de uma hora e meia para apagar o incêndio. Partes da fuselagem do avião ficaram espalhada por cerca de um quilômetro. Não há informações sobre as causas do acidente. A Nova China informou que havia muita neblina na hora do pouso.

Em nota, a Embraer afirmou que uma equipe de técnicos da empresa está a caminho da China para ajudar nas investigações sobre as causas do acidente - que representa um revés para o crescente setor aéreo chinês. O setor passou vários anos sem sofrer acidentes graças a uma frota renovada e medidas de segurança rígidas. O último grande acidente da aviação civil na China foi em 2004, quando uma aeronave da China Eastern caiu sobre um lago congelado ao decolar, provocando a morte de mais de 50 pessoas.

O aeroporto de Yichun é um pequeno terminal local inaugurado ano passado, como parte do crescente número de instalações aéreas construídas em áreas remotas da China para impulsionar o desenvolvimento econômico.

A Henan Airlines é uma pequena empresa regional que realiza somente voos domésticos usando aeronaves fabricadas pela Embraer, principalmente em rotas no norte e noroeste da China. A empresa, antes chamada de Kunpeng Airlines, foi relançada este ano e pertence à companhia aérea estatal Air China.

As empresas regionais chinesas que fazem rotas curtas no país enfrentam dificuldades com a perda de passageiros para linhas de trem de alta velocidade que a China expandiu recentemente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.