Gregorio Borgia/AP
Gregorio Borgia/AP

Acidente com navio na Itália torna-se potencial tragédia ambiental

Imprensa italiana afirma que sétimo corpo foi encontrado, porém autoridades negam informação

AE, Agência Estado

17 de janeiro de 2012 | 08h28

Atualizado às 9h02.

 

ROMA - O acidente com o cruzeiro de luxo Costa Concordia, que naufragou na última sexta-feira, tornou-se também uma potencial tragédia ambiental, já que o mar mais agitado atinge o navio e gera temores de que combustível possa vazar na área.

 

O jornal La Stampa disse que as equipes de resgate teriam encontrado no início desta terça-feira, 17, um sétimo corpo entre os destroços do navio. Com isso, subiria para sete o número de mortes confirmadas no acidente. As autoridades negam a informação.

 

Veja também:

linkEmpresa culpa comandante pelo naufrágio

link'Nos deram 50 euros e não deram informações', diz repórter do 'Estado' que estava a bordo

som ESTADÃO ESPN: Passageiros brasileiros do Costa Concordia já foram resgatados, confirma embaixador

video VÍDEO: Passageiro registra o pânico durante resgate

As equipes de resgate usaram alguns explosivos para criar quatro pequenas aberturas no casco da embarcação, que está encalhada perto da ilha de Giglio, na Toscana. Há 29 passageiros e tripulantes desaparecidos. Segundo um porta-voz da Marinha, em entrevista à Sky TV 24, os pequenos buracos criados no início desta terça-feira permitem que os mergulhadores entrem facilmente para as buscas.

 

Os buracos foram feitos acima e abaixo do nível da água. Imagens da televisão mostraram que os buracos tinham menos de dois metros de diâmetro.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliacruzeiroacidentemortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.