EFE/EPA/National Health Directorate
EFE/EPA/National Health Directorate

Acidente com ônibus no Peru deixa 16 mortos; dois brasileiros ficaram feridos

Veículo da empresa Cruz del Sur colidiu com carros em rodovia e capotou no sul do país andino; número de feridos chegou a 40

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2020 | 16h19
Atualizado 07 de janeiro de 2020 | 14h26

LIMA - Um acidente de ônibus deixou pelo menos 16 pessoas mortas nesta segunda-feira, 16, no distrito de Yayca, na província de Caravelí, no sul Peru. O número de feridos chegou a 40, entre os quais dois brasileiros, de acordo com a Polícia Rodoviária local.

O ônibus da empresa Cruz del Sur, que saiu de Lima no domingo e devia em Arequipa nesta segunda, colidiu com veículos que estavam estacionados à margem da rodovia e capotou em seguida. Segundo informações, o veículo estaria em alta velocidade.

O chefe de Proteção da Rodovia da Polícia Nacional, Erlyn Silva, disse à emissora de TV peruana "Canal N" que 13 pessoas morreram no local do acidente, duas outras em um hospital e outra quando era levada de ambulância para a cidade de Ica.

O gerente-geral da Superintendência de Transporte Terrestre de Pessoas, Cargas e Mercadorias (Sutran), Jorge Beltran, disse que o veículo estava a 106 km/h em uma área onde a velocidade máxima permitida é de 90 km/h, razão pela qual que estará sujeito a um processo de sanção. O motorista do ônibus disse aos policiais que o acidente foi causado por uma falha mecânica.

O diretor regional de Saúde de Ica, Marco Cabrera, informou que a rede atendeu 41 pessoas no hospital de Nazca, das quais nove estavam em estado crítico devido aos seus ferimentos.Quatro desses pacientes foram levados de avião para Lima devido a gravidade de seu estado, disse Cabrera. Ainda no hospital de Nazca, 28 passageiros seguem internados sob observação, entre eles os feridos brasileiros e outros dois americanos.

Os familiares das vítimas entraram em contato com a sede da empresa de transporte, em Lima, para pedir informações sobre a situação dos passageiros e a companhia enviou um representante para os hospitais onde os feridos estão internados. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.