Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Acidente de avião australiano em Malauí deixa 9 mortos

Um avião particular contratado por uma companhia de extração de urânio australiana bateu em uma árvore e caiu em um milharal nesta quinta-feira, 8, matando pelo menos oito engenheiros, segundo informações da polícia e de testemunhas em Malauí, país que fica no leste do continente africano.A polícia disse que o acidente aconteceu em Dowa, que fica cerca de 40 quilômetros ao norte da capital."Não há sinais de sobreviventes", disse o porta-voz da polícia Willy Mwaluka. Ele disse que oito engenheiros, mais o piloto estavam a bordo, mas não houve confirmação do número de passageiros ou de sua nacionalidade.Mwaluka disse que a polícia encontrou dois corpos.George Kalungwe, que vive na região e foi um dos primeiros a chegar no local do acidente, disse que o avião parecia tentar um pouso de emergência na estrada, mas bateu em uma árvore e caiu em um milharal. Kalungwe disse que uma fumaça encobriu o avião, mas logo sumiu, sem diexar sinais de que aeroplano tinha pegado fogo. "Nós vimos a polícia chegar e começar a procurar por sobreviventes", disse.A empresa australiana Paladin contratou o avião da companhia Executive Air Charters. Não há explicação sobre se o avião teve problemas técnicos durante o vôo.Os engenheiros estavam a caminho de uma mina de extração de urânio em Karonga, que fica próxima à fronteira com a Tanzânia.Paladin assinou um acordo de dez anos com o governo de Malauí para construir a mina de Kayerekera, a segunda na África, depois da Namíbia.O projeto gerou preocupação em Malauí, um dos países mais pobres do ano, sobre o impacto ambiental da construção da mina. A empresa minimizou os problemas ao prometer a construção de escolas e infra-estrutura na região.O governo disse que o projeto providenciaria um investimento exterior necessário e geraria empregos no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.