Acidente de carro provoca protesto no Azerbaijão

Centenas de pessoas em Ismayilli, um cidade central do Azerbaijão, rodearam um edifício do governo regional para pedir a renúncia do governador após uma noite de distúrbios, na qual um hotel e vários carros foram incendiados.

AE, Agência Estado

25 de janeiro de 2013 | 11h33

Aziz Kerimov, um jornalista da agência de notícias independente Turan, que viajou a Ismayilli, disse que a polícia usou gás lacrimogêneo e canhões de água em intervalos de meia hora enquanto a multidão se recusava a se dispersar. Alguns pessoas da multidão responderam os pedidos dos policiais para liberar a área atirando pedras. Entre 10 e 15 pessoas foram detidas, acrescentou.

Os tumultos começaram na noite de quarta-feira, quando Emil Shamsaddinov, de 22 anos, proprietário de um hotel local, reagiu virando seu carro esporte Chevrolet Camaro para uma calçada e colidindo com um poste de eletricidade por entrar em uma briga com outro condutor.

A briga aumentou rapidamente, levando a cerca de 3 mil pessoas a invadirem o Hotel Shamsaddinov de Chyrag - o nome do hotel significa "fogo" em azeri - e incendiando vários de seus carros.

Os tumultos destacam as frustrações generalizadas sobre a disparidade profunda entre pobres e ricos na nação soviética rica em petróleo. As empresas no Azerbaijão são frequentemente acusadas de operarem em conluio íntimo com o governo que, segundo militantes da oposição, é cheio de corrupção.

A Transparência Internacional, baseada em Berlim, classifica o Azerbaijão no 139º lugar de 176 países que fazem parte de seu Índice de Percepção da Corrupção. Os partidos da oposição e jornalistas independentes são rotineiramente perseguidos pelas autoridades no país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Azerbaijãoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.