Acidente faz BP suspender parte das operações no Golfo

Os esforços da BP para frear o vazamento de óleo do poço de Macondo, no Golfo do México, esbarraram em mais um obstáculo nesta manhã, após um dispositivo submarino ter colidido com uma cúpula de contenção instalada anteriormente pela companhia no local, afirmou Thad Allen, Almirante da Guarda Costeira dos Estados Unidos.

AE, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 15h08

O acidente resultou na interrupção das operações de recolhimento do óleo em uma das embarcações utilizadas pela companhia para conter o vazamento, a Discoverer Enterprise, que possui capacidade para armazenar 18 mil barris de petróleo por dia. Agora as equipes estão analisando a cúpula para verificar se houve a formação de pequenos cristais, chamados hidratos de gás natural, e o tempo do reparo.

"Eles estão checando a cúpula de contenção no momento", disse Allen durante uma entrevista coletiva. "Eles tentarão reinstalar a cúpula mais tarde", mas, se houver hidratos, será necessário reinstalar o duto que conecta a Discoverer Enterprise à cúpula, "e isso tomará um tempo consideravelmente maior", acrescentou o Almirante.

O Q4000, outro navio utilizado pela BP para conter o vazamento, segue operando e continua queimando aproximadamente dez mil barris de petróleo por dia, segundo Allen. Ontem, a BP retirou um total de 27.090 barris de óleo do Golfo. Desse total, 10.425 barris foram queimados e 16.665 barris foram armazenados pela empresa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
vazamentopetróleoambienteacidenteBP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.